Páginas

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Telefone

Na casa da vovó.
- Clarice, para você, é o João Guilherme.
- Oi João Guilherme. Tudo bem?
...
- Hoje não posso. Vou brincar na casa do Fernando.

domingo, 29 de novembro de 2009

Casa nova

Mostrando o quarto novo para o primo Gabriel.
- E esse é o meu quarto novo, ele é lindo. Olha o espelho. Olha a cama de princesa. Olha o baú cheio de brinquedo. O berço do Loulencinho. Aqui acende a luz, tem pilha, ó, tá funcionando.

Calma aí

- Loulenço, calma, não chora não. Já estamos chegando na casa da bisa, o João Pedro está lá, tem lanche, tem bolo, tem festa...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Estranho no ninho

Chegando em casa, no primeiro dia de trabalho da nova ajudante:
- Mamãe, tem uma pessoa estranha aqui na nossa casa.
- Ah, filha, essa é a D. Neuza, ela veio nos ajudar a arrumar a casa.
- É, nossa casa estava muito suja e bagunçada.
Depois dessa eu podia mudar o título do post para 'estranho no chiqueiro'...
...
D. Neuza pede para eu ver se a casa está do 'meu agrado'. Para mim, tudo ótimo, para a Clarice:
- Este balde (tummy tub) não fica aqui fica no banheiro. D. Neuza, tem que guardar o balde no banheiro tá?
- Mamãe, quem colocou a gaita na minha casinha de madeira?
Sei lá, como você viu que a gaita está ali? Pensei.
- D. Neuza, a gaita não fica dentro da casinha, tá? Fica ali na estante.
...
Meia hora depois, estava super amiga da D. Neuza. Tocou gaita para ela, convidou para dançar...

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Que dia lindo

Eu, na maior das preguiças para acordar. Ela, para ao meu lado sorrindo e complementa o carinho que o papai está fazendo até a senhora preguicilda aqui acordar.
- Mamãe, o dia está lindo.
Eu até me animo. Mas logo a conversa continua.
- Eu fiz cocô na fraldinha.
E assim comecei este lindo dia ensolarado.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

De quem é esse cotovelo aqui?

Brincando, antes de dormir, escondida nos travesseiros da minha cama.
- De quem é esse cotovelo aqui?
- Não sei não.
- É do Lourencinho?
- Nããão, ele está dormindo no berço.
- É do papai?
- Nãããão, ele está tomando banho no banheiro.
- É do vovô?
- Nãããão, ele está na casa dele.
- É do João Pedro?
- Nããão, ele está na casa dele.
- É da titia Fabiana?
- Nããão, ela está na casa do João Pedro.
- É da tia Elen?
- Nããão, ela está na piscina da natação.
- É da tia Dalva?
- Nããão, ela está na escola.
- É do Bê?
- Nããão, ele está na escola.
- É do Bruno?
- Nããão, ele está viajando de avião.
- É da Jéssica?
- Nããão, ela está em Brasília (detalhe a brincadeira foi em casa, depois das férias)
- É da lesma do mar? (ela viu algumas no passeio pelos corais)
- Nãããão, ela não tem cotovelo.

Hora do almoço

Uma semaninha de férias, presentinho de aniversário para mim. Muito sol, mar e piscina. Hora de planejar o almoço para dar conta dessa vida.
-  Filha, o que você vai querer almoçar?
- Eu quero 'lasgosta'.
E assim o chef do restaurante fez uma deliciosa lagosta, especial para a criança. Ele gostou tanto da nova cliente que nem cobrava os pratos dela.

É um perigo fazer essa pergunta para nossa pequena de paladar exigente. Ainda bem que minhas sopas continuam agradando (vez e outra ela pede para ir no restaurante verde)!

Aconteceu parecido algumas semanas atrás, num desses dias em que eu não queria cortar nenhuma cebola. Fomos almoçar no shopping. No elevador, o pai faz a mesma pergunta e escuta:
- Camarão. Camarão bem grandão.

Para terminar, a moda agora é comida japonesa, desde que iniciou com  os pauzinhos e deliciou-se com seu primeiro sashimi de salmão, vive pedindo para ir ao restaurante japonês, puxando os olhinhos com dedos. Ai, ai... o que esperar do pequeno, iniciado há menos de um mês nessa vida gastronômica?

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

domingo, 1 de novembro de 2009

O velho r'n'r

- Mamãe, estou chateada. Triste.
- Que foi?
Suspira, sai quase se arrastando de tanta tristeza.
- Preciso do meu violão. Vem cantar um rock'n'roll comigo.

Nos 80 anos da bisa

As igrejas evangélicas são muito evoluídas no quesito musical, ninguém duvida. No culto em comemoração aos oitenta anos da bisa, tocaram os músicos da igreja e até uma participação especial do Tio Paulo e do Rafael. Mas como não era uma apresentação de música gospel mas um culto chegou a hora do pastor falar. Até então Clarice estava feliz da vida com os instrumentos e com a música.
- Mamãe, cadê a música?
- Depois a gente canta mais, é hora do pastor falar.
- Posso cantar?
- Depois... shiiiii...
Um depois muito do breve.
- O sapo não lava o péééé!
A aniversariante, com sua sabedoria e calma octagenária, adorou... disse que das melhores coisas foi ver os bisnetos na igreja, canatando e correndo pela igreja. Como ela disse:
- É criança, é assim mesmo, cheia de energia. Cantamos para nos aproximar de Deus e a música que ela sabe é a do sapo, Deus entende.